Agricultor aprimora as práticas no campo

Os resultados do Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos, PARA, divulgados pela Anvisa, nesta terça-feira, 29/10, refletem o esforço das cadeias produtivas. “Agricultor vem procurando usar racionalmente as tecnologias”, afirma Andef.


Os números sobre o uso de defensivos agrícolas no combate de pragas revelam um fato significativamente positivo: os produtores rurais vêm se mostrando preocupados em melhorar o manejo da lavoura quando aplicam os produtos. Esta é a conclusão da Associação Nacional de Defesa Vegetal, Andef, sobre os resultados do levantamento realizado pela Anvisa, Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

"O órgão analisou 3.293 amostras, de 13 culturas, entre legumes, frutas e cereais. O resultado aponta 64% das amostras analisadas em 2011 e 71% das amostras analisadas em 2012 estão em perfeita conformidade com as normas da estabelecidas pela Agência", afirma Eduardo Daher, diretor-executivo da ANDEF, que congrega as empresas que desenvolvem e produzem defensivos agrícolas. “Isto mostra a evolução no uso adequado da tecnologia pelos agricultores brasileiros, índice que vem crescendo ano a ano".

Daher destaca também que o relatório final e oficial ainda não está disponível no site da Anvisa. "Até o momento, não conhecemos os números oficiais e, por isso, não temos como aprofundar a análise ao que diz respeito às culturas que utilizam produtos não autorizados, bem como daquelas que eventualmente apresentem níveis de resíduos superiores ao Limite Máximo de Resíduos (LMR)."

“De qualquer forma, o resultados dos dois 'ultimos anos comprova aquilo que já sabemos: o agricultor utiliza esta tecnologia com muito critério”, afirma o executivo. “O agricultor sabe muito bem o custo da adoção de tecnologias em sua lavoura, por isso, não utiliza de forma inadequada os insumos que melhoram sua produtividade – sementes, máquinas, fertilizantes e defensivos agrícolas, entre outros.

Contato