Manejo de produtos e aplicação são fatores-chave da produtividade

A afirmação é do pesquisador científico Hamilton Ramos, do IAC.


“O manejo de produtos e os métodos de aplicação foram incluídos entre os fatores-chave da produtividade agrícola e, consequentemente, da competitividade do agronegócio”. A afirmação é do pesquisador científico Hamilton Ramos, do Centro de Engenharia e Automação do IAC (Instituto Agronômico), órgão da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo. 

De acordo com o especialista, as tecnologias para aplicação de defensivos agrícolas tiveram salto de qualidade nas últimas décadas: “Na década de 1990, agrônomos e técnicos aprendiam a manejar esses produtos com os agricultores, uma situação que resultava na repetição de erros e na ocorrência de falhas graves nas lavouras”.

“A pesquisa agrícola ininterrupta obteve como principal conquista o domínio de conhecimentos envolvendo a relação entre pragas, agrotóxicos, máquinas e o meio ambiente”, afirmou Ramos durante o 8ª Seminário Internacional de Tecnologia de Aplicação, realizado na cidade de Campinas (SP).

Ele sustenta que os defensivos agrícolas são tecnologias indispensáveis ao sucesso do agronegócio brasileiro, mas muitas vezes são alvo de polêmica pelo desconhecimento por parte de setores da sociedade. Para reverter esse quadro é necessária formação adequada e boa comunicação. “Estão na ordem do dia temas como ‘deriva’ e seu impacto sobre organismos vivos, incluindo abelhas, e a necessidade de reduzir continuamente custos de produção”, ressalta.

“A era digital e os recursos da eletrônica são os novos aliados do campo, entretanto, será preciso investir na capacitação de profissionais, consultores e da cadeia agrícola como um todo, visando o domínio de novas tecnologias. Aplicativos para celular, pulverizadores com piloto automático e GPS e outros recursos do ‘campo conectado’ hoje interferem diretamente na eficácia do tratamento de lavouras”, conclui Hamilton Ramos.